AFONSO MENESES - TODA AUTORIDADE A JESUS CRISTO

ENSINANDO A VERDADE DE ACORDO COM A OPINIÃO DE JESUS CRISTO

Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.
E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador,
para que fique convosco para sempre. A saber, o
Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber;
porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis,
porque ele habita convosco, e estará em vós
(Jo 14: 15-17)

Este site tem por objetivo fazer a apologia, ou seja, a defesa da divindade, da ética e da autoridade de Jesus Cristo. Minha apologia coloca a opinião de Jesus Cristo acima de qualquer outra opinião; ela se opõe ao fato de que pensadores, teólogos e pregadores cristãos tenham atribuído igual autoridade a todos os personagens bíblicos; não dando nenhuma importância especial à divindade, à ética e à autoridade de Jesus, nem aos benefícios espirituais e sociais decorrentes desta verdade, para toda a humanidade. Ou seja, eu defendo a divindade, a ética e a autoridade de Jesus Cristo como sendo a única fonte de sabedoria e poder capazes de orientar e saciar espiritual e socialmente todos os seres humanos.

Em todas as considerações que eu faço em minha apologia, eu convido o leitor a fazer um exame preliminar de consciência, pelo qual se comprometa com Deus e consigo mesmo, a falar somente a verdade a todas as pessoas, em todos os contextos e a levar Deus a sério, tanto quanto o conheça; porque Jesus afirma: Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim, não, não. O que disto passar vem do maligno (Mt 5:37). Esta recomendação é para que o leitor não venha perder o seu tempo na busca por sentido para sua vida em outra fonte que não no Espírito Santo que é Espírito da verdade e não da mentira; é isto que eu ensino aqui: Jesus Glorificado dá o Dom do Espírito Santo a todas as pessoas que o receberem como Deus e guardarem todos os seus mandamentos.

A minha apologia considera que a opinião de Jesus Cristo seja o único elemento com poder suficiente para produzir a ruptura capaz de trazer as mudanças esperadas por todas aquelas pessoas que têm preferido viver distantes das igrejas a serem guiados por líderes que, claramente, desprezam a opinião de Jesus Cristo, preferindo ensinar que o cristianismo se resume à fé na história de Israel e na filosofia do apóstolo Paulo. Quero, através do livro Toda Autoridade a Jesus Cristo, levar às pessoas a opinião de Jesus Cristo, tal como exposta no Evangelho. Que fique claro que a defesa da divindade, da ética e da autoridade de Jesus, se baseia exclusivamente na Bíblia, tendo como primeira referências: Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar (Gn 3:15), até a saudação final: ...Certamente, cedo venho,... (Ap 22:20).

PERMITA QUE JESUS SE APRESENTE A VOCÊ

Para você que nunca ouviu falar no Jesuismo que pregamos, eu o defino como a defesa de divindade da ética e da autoridade de Jesus Cristo. Esta forma de cristianismo foi vivida pela igreja cristã durante os três primeiros séculos da era cristã, período em que não se falava em três pessoas da divindade, cada uma com um papel diferente. A ideia que se tinha de Deus vinha da profecia messiânica: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz (Is 9:6). Acreditava-se que o menino fosse Jesus Homem e que Deus Forte, Pai Eterno, fosse Jesus Glorificado, ou seja, Jesus Homem, imediatamente após sua morte. E, por ser o Pai Eterno, Jesus retomaria sua condição plenamente divina como o Espírito Santo, a essência de Deus; é isto que pregamos.

O cristianismo dos três primeiros séculos da era cristã teve uma penetração muito grande, na sociedade mais corrupta que já existiu, porque ele ensinava basicamente três princípios: o primeiro deles é que Jesus é quem diz ser, tal como afirma: Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. Disse-lhes Jesus: Muitas obras boas da parte de meu Pai vos tenho mostrado; por qual destas obras ides apedrejar-me? Responderam-lhe os judeus: Não é por nenhuma obra boa que vamos apedrejar-te, mas por blasfêmia; e porque, sendo tu homem, te fazes Deus (Jo 10:30-33). Ou seja, foi justamente, esta blasfêmia o evento fundador do que veio a ser a religião cristã. Perceba que apesar da profecia messiânica: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz (Is 9:6), os judeus não criam que Jesus fosse quem dizia ser.

Porque muitos dos líderes judeus não creram na profecia messiânica a respeito de Jesus? Para responder a esta pergunta vem o segundo princípio que norteia a fé cristã: Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim (Jo 6: 44-45). Por isto é tão importante que o ser humano seja da verdade, creia na verdade, ame a verdade, ensine a verdade e viva a verdade, para que ele possa aprender com Deus, e um dia se arrepender dos seus pecados, porque todas as pessoas que são da verdade ouvem a voz de Jesus: ... Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz (Jo 18:37). E Jesus ensina que no nosso dia a dia devemos viver a verdade: Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; anão, não; pois o que passa daí, vem do Maligno (Mt 5:37).

O terceiro princípio, que dá sustentação ao cristianismo, é tão antigo e universal quanto os outros dois; por este princípio, a igreja cristã é composta por todas as pessoas que são da verdade, não importando onde nem quando tenham vivido; tais pessoas que são da verdade um dia serão ensinadas por Deus, aprenderão, irão a Jesus e terão vida abundante, como Ele promete: ...eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10:10). Este princípio evidencia a graça que que é a morte de Jesus Homem, em lugar de todos os pecadores que forem da verdade: Jesus havia de morrer pela nação, e não somente pela nação, mas também para congregar num só corpo os filhos de Deus que estão dispersos (Jo 11:51-52). É por isto que a verdade é tão importante; porque, para alcançar a graça, precisamos ser da verdade, assim falou João Batista, sobre Jesus Homem: Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo (Jo 1:17).

Perceba que estes três princípios foram enunciados em condições, que, segundo o pensamento humano, seriam de extrema adversidade para Jesus Homem. O primeiro princípio foi enunciado a uma turba de líderes judeus que representavam contra Jesus, na corte de Pilatos; o segundo princípio foi enunciado a Pilatos, durante o julgamento e o terceiro princípio foi enunciado por Deus a Caifás, em profecia, também no contexto da morte física de Jesus Homem; ou seja, os três princípios foram enunciados no mesmo contexto. O que faz com que o cristianismo atual esteja tão distante destes três princípios é o fato de os líderes cristãos ensinarem suas doutrinas baseados em textos bíblicos, muitos deles revogados por Jesus. Ao considerar o melhor do ensino cristão ministrado em nossos dias, percebe-se um apego exagerado dos teólogos ao texto bíblico, por considerá-lo totalmente inspirado, inerrante e infalível.

Precisamos considerar que Jesus revogou as mortes de pecadores, por causa do seu pecado, revogou o ódio pelos inimigos, do qual o Antigo Testamento está abarrotado: Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; e ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; e, se qualquer te obrigar a caminhar mil passos, vai com ele dois mil (Mt 5:38-41). Para se ter uma ideia de quanto da Bíblia foi revogado por Jesus, considere o livro dos Salmos, um livro recomendado por Jesus, observe que boa parte dos cânticos e orações ali contidos são petições por vingança. Eu espero que você possa encontrar o Espírito dos Salmos em cada cântico e em cada oração, mas que, durante a leitura, cada cântico e cada oração sejam seus e não do salmista.

Espero que você perceba a importância de Jesus poder se apresentar às pessoas e particularmente a você; e Ele está se apresentando a todas as pessoas e as que são da verdade estão ouvindo a voz dele, porque todas as pessoas que são da verdade ouvem a voz de Jesus, ainda que seja no último instante das suas vidas. É por isto que a corrupção na igreja não tem a menor influência sobre o número de pessoas que serão salvas; apenas influencia na qualidade de vida espiritual das pessoas que poderiam ter se fossem congregadas em um só corpo. As pessoas a quem Deus ensinar e elas se recusam a aprender Jesus afirma que são os sábios e entendidos: Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos (Mt 11:25). Os sábios e entendidos não querem parte com Deus, mas Jesus nos proíbe até a mesmo identificá-los como tais.

... Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada (Mt 15:13)

Faça um comentário, ou simplesmente declare que Jesus é Deus:

Você também pode nos mandar um e-mail para afonsojesuismo@gmail.com

aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e acharei descanso para a vossa alma
introdução ao ensino bíblico quem é o senhor teu deus? a inerrância bíblica e a divindade de jesus
engenharia bíblica não alimenta o poder da verdade o pecado e o sentido para a vida
antropologia da religião cristã ética e moral cristãs justificativa para o jesuismo
     
  voltar para o início da página   

©2012 Afonso Meneses